quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Olho d´Água dos Bredos1856-1912

Por: Pedro Salviano Filho
(Coluna Histórias da Região - edição de janeiro/fevereiro 2015)


Dois símbolos oficiais de Arcoverde, bandeira e brasão. 
E um erro que se repete: 1865, quando deveria ser 1812.


Esta coluna tem retomado o desenrolar da história de Arcoverde e com a ajuda da informática e novas fontes de dados, novos aspectos são trazidos aos nossos leitores.

Agora é apresentado o segundo período, do topônimo “Olho d´Água dos Bredos”, e a nossa planilha ( http://goo.gl/P5RS4P ) permite um olhar panorâmico, onde se pode identificar novos fragmentos da história, captados de diversas fontes primárias e acessados por  links. Curiosidades que não caberiam no espaço desta coluna.

Assim novos dados vão sendo acrescentados: os primeiros professores públicos, subdelegados nomeados, leis e portarias que iam regulando a vida das populações, uma data bem mais antiga para a nossa primeira agência postal (bem antes de 1910), curiosos acontecimentos ligados à construção e inauguração da Great Westerne a verdade sobre a mudança do topônimo para Rio Branco etc.

Em 1865 Pernambuco cria novos distritos (07-03-1865-http://goo.gl/fK8D44, 3ª. coluna e 24-05-1865 -http://goo.gl/HtXxiD, 2ª.col.): “Art. 1º. A divisão atual dos distritos de paz da freguesia de Nossa Senhora das Montanhas de Cimbres, fica alterada pela maneira seguinte:[...] § 5. O distrito da povoação doOlho d´Água dos Bredos, passará a ter a designação de quinto distrito, ficando com a circunscrição atual[...].”

A edição de 15-09-1865 do Diário de Pernambuco apresenta uma pequena citação sobre a capela (cuja primeira reforma está citada em vários livros como naquele ano):Governo do bispado de Pernambuco,http://goo.gl/ZsCcvG,5ª col.: “Dito ao vigário de Buíque - Acuso recebido o seu ofício de 20 de julho, e tendo em consideração o que V.Rvma. me expõe sobre a obra da capela de Nossa Senhora da Penha, julgo conveniente que V.Rvma. conserve a imagem da mesma Senhora na capela do Olho d´Água dos Bredos, até a conclusão da outra capela [...]”.

O Imperador Pedro I assina Carta de Lei, aos 15 de outubro de 1827, autorizando a criação de escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e povoações mais populosas do império [...]” (Em Cronologia Pernambucana, vol.15, de N. Barbalho, pág. 119). Em 1841 apresenta-se à Câmara Municipal de Cimbres o sr. Pedro Ernesto Rodrigues da Silva, primeiro professor público de primeiras letras de Pesqueira (Em Ararobá, Lendária e Eterna, Luís Wilson, 1980, pág. 37). Em 15-06-1867 -http://goo.gl/qcVzZK, 3ª.col.:“Pela lei 731 são criadas novas cadeiras de instrução primária inclusive [...] na povoação de Olho d´Água dos Bredos no termo de Cimbres[...]”.

17-04-1868 - http://goo.gl/mC3bj1,3ª.col.: Pela lei 786 “Ficam criadas nove cadeiras de introdução primárias para o sexo masculino nos lugares seguintes: [...]na Povoação do Olho d´água dos Bredos [...]”.  O tema mereceu discussão na Assembleia no mesmo diahttp://goo.gl/F2wSvW, 4ª.col.

10-04-1870 -http://goo.gl/y4EMMh,  1ª.col. : “N.28 - Declarando que a cadeira de instrução primária do sexo feminino criada pela lei n. 741 de 1867 na povoação de Olho d´Água dos Bredos, do termo de Cimbres, será para o sexo masculino [...]”.

10-11-1870: Portaria permutando a professora públicaD. Antonia Faustina de Barros, da povoação de Olho d´Água dos Bredospela da cidade de Nazaré:http://goo.gl/wVT9og, 4ª.col. A nomeação da mesma ocorreu em 8 de outubro:http://goo.gl/YeLDeD, 4ª.col.

24-03-1871- http://goo.gl/2KAa7X, 1ª.col. : “ [...]Concurso  cadeiras de instrução primária[...] Olho d´Água dos Bredos[...]”.

25-11-1871- http://goo.gl/RgE7KX,1ª.col.: “[...] resolve conceder a Augusto Cavalcanti de Albuquerque a exoneração que pediu do cargo de primeiro suplente de subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos de Cimbres”.

4-05-1872 - http://goo.gl/wSrK7j, 2ª.col.: “ [...]exonerar dos lugares de 2º., 3º;, 4º., 5º., e 6º. suplentes do subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos do termo de Cimbres, os cidadãos: Veríssimo José do Couto, Francisco Luiz Pereira Mutuca, Antonio Leite de Siqueira, João Cordeiro Rego, Antonio Ferreira Duarte Veloso.  [...]nomear para os lugares de 1º., 2º. e 3º. suplentes do subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos do termo de Cimbres, os cidadãos seguintes na ordem em que colocados: Leonardo Pacheco Couto Duque, Jeronymo Pacheco de Albuquerque e Francisco Luiz Pereira Mutuca.”

13-06-1872 -http://goo.gl/QiGKFW, 3ª. col.: “Lei N. 1.057 [Criação da comarca de Cimbres] Ficam criadas nesta província mais seis comarcas, cujas denominações e limites serão os seguintes: Parágrafo 4. As de Cimbres, Igarassu e Barreiros, que se comporão dos seus respectivos termos.[...] 7 de junho de 1872

16-07-1872 -http://goo.gl/MvOgcj,5ª.col.:“Para regerem interinamente as seguintes cadeiras de instrução primária [...]  Olho d´Água dos Bredos, Donata Silvina dos Santos. Foi declarada sem efeito a remoção de Benedito Marques Vieira, professor do Olho d´Água dos Bredos.”

18-01-1874- http://goo.gl/1MclNf, 4ª.col.: ”A câmara de Cimbres, cuja sede é a vila de Pesqueira [...] contém a comarca um termo, com três freguesias, com as seguintes invocações: Santa Águeda de Pesqueira, da qual o vigário colado é o Rvm. Domingos Leopoldino da Costa Espinosa; a de N.S. das Montanhas de Cimbres, da qual o vigário encomendado o Rvm. Dario Nunes da Silva; a de N.S. da Conceição de Lagoa de Baixo, da qual é vigário colado o Rvm. Felix José Marques Bacalhau.[ ...] Olho d´Água dos Bredos, distante da sede da comarca 10 léguas; tem cadeiras para ambos os sexos; tem uma capela sob a invocação de Nossa Senhora do Livramento; tem uma feira insignificante aos domingos. “

05-03-1874http://goo.gl/HqkRUH , 4ª.col.:  Descrição dos rios da região de Cimbres.

13-05-1874- http://goo.gl/HcGDEY,3ª.col. : Limites de Cimbres e Pesqueira.” Art. único. Os limites da freguesia de Cimbres com a de Pesqueira serão os seguintes [...] ficando a freguesia de Cimbres com os povoados Olho d´Água dos Bredos, [...]”.

10-10-1874- http://goo.gl/IyiYLc,  3ª.col.: “Atos - O presidente da província resolve criar um distrito literário em Olho d´Água dos Bredos, desmembrado de Cimbres, e tendo por limites os do respectivo distrito policial. [...] nomear delegado literário do distrito de Olho d´Água dos Bredos, criado por ato desta data, o major Severiano Camello Pessoa Cavalcante.”

23-11-1874 -http://goo.gl/Yco6HL,4ª.col.: Transferência de professor. “Por atos de 29:[...] o professor da extinta cadeira de Olho d´Água dos Bredos Benedito Marques Vieira para a cadeira de Cimbres”.  Ainda sobre o caso http://goo.gl/th86qd,2ª.col.

07-05-1875 -http://goo.gl/WJ8XhX,1ª.col. : “§ 5º. O distrito da povoação do Olho d´Água dos Bredos, passará a ter a designação de quinto distrito, ficando com a circunscrição atual.”

23-03-1875 -http://goo.gl/PNsgUL,2ª.col.: “Portaria de 17 de março foram nomeadas autoridades policiais [...] Jeronymo Pacheco de Albuquerque, 1º.  suplente do subdelegado do distrito Olho d´Água dos Bredos, do termo de Cimbres.”

30-04-1877 - http://goo.gl/ehikdr, 3ª.col.: “ [...] Foram nomeados: Victorino José do Couto, subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos[...].”

20-07-1877 -http://goo.gl/WM1wPK,1ª.col.: “Além de estarmos já desenganados de que não temos inverno, e de que a fome nos bate à porta...”

04-10-1877 -http://goo.gl/cNmWse, 2ª.col.: “A emigração dos habitantes do sertão para as matas aumenta diariamente, e só poderá tolher essa corrente a divina providência [...].”

05-09-1882- http://goo.gl/y38xeC, 3ª.col.: “Foram nomeadas professoras públicas efetivas de acordo com a lei n.1686 do corrente ano: Lauriana Maria Ramos, para a cadeira do sexo feminino de Olho d´Água dos Bredos[...].”

30-12-1882 -http://goo.gl/b5WHrV, 5ª.col.: “Faço público que do dia 2 de janeiro vindouro em diante começa a funcionar a agência do correio do povoado de Olho d´Água dos Bredos, comarca de Cimbres, sendo a mala expedida nos dias 2, 7, 12, 22 e 27 de cada mês. Administração dos Correios de Pernambuco.”

15-10-1885 -http://goo.gl/9CqzyU, 4ª.col.:  “Autoridades policiais: Distrito de Olho d´Água dos Bredos. Subdelegado: Victorino José do Couto. 1º .suplente: Jeronymo Pacheco de Albuquerque.”

23-03-1886 -http://goo.gl/gMsR5Z,5ª.col. : “[...] Outra do Manoel Soares do Albuquerque, professor contratado da escola de instrução primária do povoado Olho d´Água dos Bredos requerendo sua nomeação de efetivo.”

07-10-1886 -http://goo.gl/AB4rwL, 2ª.col.: “[nomeados] 2º . e 3º . suplentes do subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos, ao termo de Cimbres, os cidadãos Leonardo Pacheco de Mello e José Pacheco do Couto na ordem que vão colocados, sendo exonerados os que exerciam.”

15-07-1887 -http://goo.gl/AqaPS3,3ª.col.: “O sr. Sérvulo José Freire adepto da grande causa da emancipação dos cativos e residente em Olho d´Água dos Bredos, concedeu carta de liberdade, sem ônus de espécie alguma, a dois únicos escravos que possuía, um com 25 anos e outro com 45 anos de idade.”

23-10-1890 -http://goo.gl/ZcgySX,6ª.col. : “Foram exonerados Sérvulo José Freire Filho e Luiz Alves de Araújo e Silva, dos cargos de 1º. e 3º. suplentes do subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos no termo de Cimbres. Foram nomeados 1, 2 e 3 suplentes de subdelegado do distrito de Olho d´Água dos Bredos, na ordem em que vão colocados, Antônio Pacheco Couto, João Cordeiro Rego e José Domingos Freire.”

28-01-1891 -http://goo.gl/N9usjY, 4ª.col.: “Homenagem: falecimento de Joana Evangelista Gonçalves Lima, professora pública de Olho d´Água dos Bredos. Faleceu em 24 janeiro de 1889.”

29-11-1896 - http://goo.gl/8RZBg3 ,1ª.col.: “Maria Benedita da Motta Silveira, professora jubilada da cadeira da vila Olho d´Água dos Bredos.”

20-08-1904 - http://goo.gl/EpuXaa , 7ª.col.:   “Foi exonerada do cargo de agente dos Correios de Olho d´Água dos Bredos, d. Francisca Eleutéria de Mello, nomeada em substituição d. Jovina Maria dos Santos.”

04-04-1909 - http://goo.gl/q2S9LD, 5ª.col.: “Proposta a criação de mais um distrito de subdelegacia no município de Pesqueira com a denominação de Ipojuca, o qual ficará constituído pelas propriedades seguintes:  Pau Ferro, Fundão dos Teixeiras, Caeté, Riacho do Mel e Olho d´Água das Varas. Para subdelegado, 1º.  e 2º. suplentes proponho os srs.Arcelino de Brito Cavalcante e Antonio de Britto Cavalcante, na ordem em que vão colocados.”

15-12-1910 - http://goo.gl/AS9UAp, 6ª.col. : “Teve lugar ontem a inauguração de 12 km do ramal novo em construção pela Great Western, de Pesqueira a Flores. Num trem especial, composto de quatro carros, seguiram ontem pela manhã o superintendente e outros funcionários da Great Western e diversos convidados, até Pesqueira, onde tomaram o comboio inaugural. Este chegou até a estação de Ipanema e os moradores do lugar o receberam festivamente.”

20-05-1911 - http://goo.gl/4d9I8W , 3ª.col.:"Amanhã, 19 do corrente, será inaugurado provisoriamente o tráfego do trecho deste prolongamento entre Ipanema e Mimoso, 10 quilômetros, não só para passageiros..."

29-12-1911 - http://goo.gl/rNKG6Z ,  2ª.col.: “No dia 27 do corrente foi inaugurado provisoriamente o tráfego do trecho deste prolongamento entre Mimoso e km 30, não só para passageiros, como para encomendas, mercadorias e animais, bem assim o serviço telegráfico.”




19-03-1912 – Olho d´Água dos Bredos muda para o topônimo Barão do Rio Branco e sua esperada estação ferroviária já recebe o novo nome. Como se pode observar no relato das festividades de inauguração (ver abaixo “Excursão governamental” , o nome usual já era Rio Branco.

13-05-1912 -http://goo.gl/8nasCL , 4ª.col. "No dia 13 de maio será aberta provisoriamente ao tráfego de passageiros [...] a estação Barão do Rio Branco (Olho d´Água) neste prolongamento..." (mais:  11-05-1912 – 7ª. col.:http://goo.gl/zxcK7v)

14-05-1912 - http://goo.gl/yd1hWl ,4ª.col.:Excursão governamental [Descrição do evento,realizada pelo repórter José Apolinário do Jornal do Recife].

Excursão governamental

Como fora anunciado, teve lugar ontem a inauguração de mais um trecho do prolongamento ferroviário de Pesqueira a Flores, linha central da rede Great Western.
O ato que se revestiu de máxima solenidade, realizou-se na melhor ordem, deixando grata impressão a todos que ali compareceram, concorrendo também para isso o tempo excelente que reinou nestes dois últimos dias na zona por onde atravessou a comitiva que partiu desta cidade, domingo último.
Logo às 8 h da manhã deste dia, notavam-se na estação central vários convidados, fazendo-se ouvir ali a banda de música do 1º. Corpo de Polícia,  presente a respectiva oficialidade.
Vinte minutos depois chegava, em automóvel, o exmo.sr. general Dantas Barreto, governador do Estado, sendo recebido pela diretoria da Great Western e membros da comissão fiscal da mesma.
Acompanhando a exc. convidados e mais pessoas tomaram lugar no comboio especial, composto de um carro de bagagem, um restaurante, um de 1ª.classe e um da diretoria, sendo puxado pela locomotiva 194, que era guiada pelo maquinista Fabrício Pedro da Silva.
Esse comboio que levava como fiscal o sr. Jorge Gomes e chefe o sr.Joviniano da Luz, deu sinal de partida às 8 e 40.
Acompanharam ao chefe do Estado, nessa excursão, seus oficiais de gabinete, drs. Paulo Silva e Souto Maior; coronel Francisco Mello, comandante da polícia; engenheiros Theófilo de Vasconcelos, Freire de Carvalho e Magalhães Seve, aquele chefe e este membro da comissão fiscal da Great Western; dr. Fernando de Barros, diretor da Saúde do Porto; A. T. Connor, A. H. Felton, H. Jungstedt e T. Briscol, respectivamente superintendente, chefe do tráfego, da conservação e construção e secretário da Great Western; Othon Rego, coronel Antônio Didier, H. Pedra, dr. Afonso de Barros, lente da Escola de Engenharia e engenheiro da comissão fiscal das obras do porto; coronel Agostinho Silva, representante do coronel Xavier de Britto, prefeito de Pesqueira, Alfredo Luz, Gercino Pontes, coronel Fábio Maranhão, capitão Vieira Dantas, ajudante de ordem do governador, acadêmico Oscar de Sá, da República, João Lemos do Pernambuco e José Apolinário por esta folha.
Às 9 1/4 parou o especial na estação de Jaboatão saindo todos a convite da diretoria para percorrer a nova oficina central da Great Western.
Esta oficina que no gênero é uma das maiores da América do Sul, é dotada de mecanismos aperfeiçoados para o preparo e reparos de material fixo e rodante, sendo acionada totalmente por energia elétrica.
Ao lado desta oficina, a Great Western edificará uma vila operária, com cinquenta e oito casas.
Toda a oficina, bem como o escritório, estão construídos de acordo com as modernas regras de higiene, a fim de assegurar a máxima segurança aos operários.
Ai deixou a comitiva o dr.Theófilo de Vasconcellos saindo o comboio vinte minutos depois para Vitória, onde chegou às 10,23. Nessa cidade foi o general cumprimentado pela comissão municipal do partido republicano, fendendo os ares girândolas de foguetes.
Após uma demora de sete minutos, saiu o comboio ouvindo-se vivas ao general Dantas Barreto.
Às 10,40 chegava o trem a Gravatá, onde se fez ouvir uma banda prestando guarda de honra o destacamento dali.
Depois dos cumprimentos ao general, partiu o comboio para Caruaru, sendo neste trajeto servido lauto almoço no carro restaurante.
Eram então 11,30, quando nas oito mesas do carro tomaram assento as seguintes pessoas:
Primeira mesa - general Dantas Barreto, A.F. Connor, coronel Francisco Mello, dr. Alexandrino da Rocha, presidente da câmara estadual.
Segunda mesa - dr. Paulo Silva, Souto Silva, capitão Vieira Dantas e H. Jungited.
Terceira mesa - srs. João Lemos, Oscar Sá, coronel Antônio Didier e José Apolináriio.
Quarta mesa - A. Felton, J. Briscol, Othon Rego e coronel Agostinho Silva.
Quinta mesa - coronel Fábio Maranhão e dr. Franklin Seve.
Sexta mesa - drs. Fernandes de Barros e Magalhães Seve.
Sétima mesa - engenheiros Afonso de Barros e Freire de Carvalho.
Oitava mesa - Alfredo Seve e Rodrigo Ramos.
O serviço da copa, que foi dirigido pelo sr. Inácio Fernandes, correu irrepreensível, sendo servido o seguinte menu:
Peixe
Roastbeef
Peru
Fiambre
Salada
Costeletas de carneiro
Purê
Salada de frutas
-
Doces - queijos
-
Vinhos: Bordeux - Pontet - Canot - Saint Estephe - Grave
Licores - Cognac e champagne.
Entre viva expansão de alegria, correu o almoço, havendo ao Champagne os seguintes brindes:
Do sr. A. T. Connor , em nome da Great Western, ao general Dantas Barreto.
Do general à Great Western, representada no sr. superintendente.
Do dr. Afonso de Barros ao sr. H. Felton, chefe do tráfego.
Dos drs. Irene de Carvalho e Paulo Silva ao engenheiro Junghtedt, chefe da construção e conservação.
Findo o almoço chegavam os excursionistas a 1.45 a Caruaru onde foram recebidos pelo coronel João Guilherme de Pontes, prefeito do município, que convidou o general Dantas Barreto a ir até o paço municipal.Aceito o convite, saiu s. exc. acompanhado da comitiva, indo até o edifício do conselho, onde foi servida delicada taça de champagne.
Em seguida, acompanhada pela banda de música Euterpe, a comitiva deu um ligeiro passeio pela cidade regressando para o comboio que, às 2,20, recomeçou a se mover em direção a Belo Jardim, onde chegou às 4 horas, saindo 4 minutos depois para Pesqueira.
Era 4,55 da tarde, quando o comboio presidencial alcançou a plataforma dessa estação, na qual se via grande multidão, tendo uma banda de música à frente, recebendo entre aclamações ao digno chefe de estado.
Saltando em Pesqueira, sempre entre aclamações, s. exc. seguiu para a residência do coronel Antônio Didier, industrial ali.
Recebidos fidalgamente pela família desse cavalheiro, foi servida uma taça de champagne, aos presentes, havendo dois brindes: um do coronel Didier ao general Dantas Barreto, outro deste, em agradecimento.
Depois de ligeira palestra, seguiram todos para a residência do industrial Carlos Frederico Xavier de Britto, à rua 15 de Novembro, onde foi oferecido lauto banquete.
Numa mesa em forma de L, tomaram assento as seguintes pessoas:
1 - General Dantas Barreto.
2 - Dr. M. Seve.
3 - João Guilherme.
4 - Dr. Souto Filho.
5 - Dr. Afonso de Barros.
6 - Dr. Freire de Carvalho.
7 - Fábio Maranhão.
8 - Honório de Carvalho.
9 - Oscar de Sá (República)
10 - Capitão Vieira Dantas.
11 - João Lemos (Pernambuco)
12 - Adolfo Bezerra.
13 - Dr. Tito Wanderley.
14 - Rodrigo Ramos.
15 - Alfredo Seve.
16 - Gercino Pontes.
17 - Pedro Satyro.
18 - Othon Rego.
19 - José Apolinário (jornal do Recife).
20 - José Fernandes do Barros.
21 - Coronel Agostinho Selva.
22 - Dr. Paulo Silva.
23 - Coronel Francisco de Mello.
24 - Dr. Alexandrino da Rocha.
Com um bom serviço de copa, correu o banquete, cujo menu foi o seguinte:
Camarão
Saladas
Galinhas com ervilhas
Fiambre
Peru
SOBREMESA
Frutas, doces e queijos
Vinhos:
Bordeaux, Chiante, Graves, Pontot, Canet
Champagne, licores e vermuth
Audessert, ergueu-se o coronel Agostinho Silva que, em nome do coronel C. F. Xavier de Britto, brindou ao general Dantas Barreto, agradecendo a s. exc. o acolhimento que dera ao convite para se hospedar ali. Seguiu-se com a palavra o dr. Tito Wanderley que, em nome da comissão política local, saudou ao chefe do Estado.
A fim de agradecer as homenagens que lhe tributavam, usou da palavra o general Dantas Barreto, que em substancioso improviso, fez meticulosa análise sobre as lutas políticas, mostrando que as diversas fases de agitação tinham as suas razões em determinados momentos; mas, cessando as causas determinantes, todos os bons elementos deviam se unir para conjuntamente trabalhar pelo engrandecimento da pátria comum.
Terminada a sua bela oração, o honrado sr. governador do Estado brindou o povo pesqueirense , sendo as suas últimas frases cobertas por prolongados aplausos.
Findo o banquete, instalaram-se as danças que foram animadas até meia noite, havendo interrupção às 10 horas para ter lugar uma ceia.
Enquanto isto se passava na residência do coronel Xavier de Britto, realizava-se em casa do coronel Antônio Didier um farto jantar, em que tomaram parte, além de outras pessoas, o nosso colega José Apolinário e dr. Franklin Seve.
Audessert, o coronel Didier brindou ao Jornal do Recife, agradecendo o nosso representante.
Concluindo o jantar, tiveram começo as danças que terminaram pouco depois da meia noite, hora em que foram repousar todos da comitiva, pernoitando o general, o coronel Mello e o sr. A. T. Connor no carro leito, dividindo-se as demais pessoas entre as residências dos coronéis Xavier de Britto e Didier.
Marcada para ontem a inauguração do novo trecho da estrada de ferro, pouco antes das 6 horas, já o comboio estava pronto, incorporando-se à comitiva várias autoridades de Pesqueira.
Às 6 horas saiu o trem, que às 6,20 chegou a Ipanema; às 6,45 à estação de Mimoso e finalmente às 7,34 à de Rio Branco, onde grande massa popular, entre aclamações e girândolas de foguetes, recebeu a comitiva governamental.
Saltando na estação de Rio Branco, antigo Olho d'Água, o general Dantas Barreto foi, a convite do sr.Connor, ao telégrafo, onde expediu os seguintes telegramas:
- Marechal Hermos - Rio - Congratulo-me com v. exc. pela inauguração trecho estrada de ferro de Pesqueira a Rio Branco.
A continuação desta estrada vai servir uma zona importante e para a continuação do trabalho depende da aprovação dos estudos já na secretaria da viação.
Afetuosas saudações. Dantas Barreto.
- Ministro da viação - Rio - Acabamos de inaugurar, provisoriamente, estação Rio Branco, quilômetro 41, no prolongamento de Pesqueira a Flores. Congratulo-me com v. exc. por este fato auspicioso e aproveito o ensejo para pedir que se digne aprovar os estudos - já feitos e entregues a este ministério - de Flores, a fim de continuar construção. Saudações. Dantas Barreto.
- Senador Britto - Rio. Inauguramos hoje trecho estrada ferro Pesqueira a Rio Branco. Comuniquei fato ao ministro viação e peço solicitar aprovação estudos já remetidos para continuação trabalhos construção. Abraço. Dantas Barreto.
- Ao dr.Theófilo de Vasconcelos, engenheiro chefe do 4o. distrito da fiscalização das estradas, o dr. Magalhães Seve, endereçou o seguinte telegrama:
Congratulo-me convosco inauguração hoje, presença governador do Estado, estação Rio Branco e trecho linha 11 quilômetros. Excelentes condições segurança. Saudações.
Também, a convite do sr.Connor, os representantes dos jornais telegrafaram para as respectivas redações.
Nessa estação, uma comissão de políticos do município de Buíque apresentou cumprimentos ao general Dantas Barreto, que fez um pequeno passeio na vila tornando ao comboio que às 8,13 partiu de volta para esta capital.
De regresso, em conversa com os engenheiros Magalhães Seve e Jungstedtouvimos os seguintes dados sobre o trecho férreo e estação inaugurados.
A distância quilométrica do Recife à Pesqueira é de 228,383 sendo a extensão do ramal desta última a Rio Branco 41 quilômetros. Destes, trinta já estavam em tráfico provisório, sendo ontem postos nestas condições mais 11, que perfazem os quarenta e um.
Todo o ramal tem sido construído por empreitada, pelo engenheiro civil José Antônio de Almeida Pernambuco.
No ramal que, como toda bitola da Great Western, é de 1,30, destacam-se 1 ponte de dez metros de vão; uma dita de sete metros; 18 pontilhões de dois a três metros de vão e 33 bueiros capeados e abertos de 1,50 a 0,60.
Além disto se notam no quilômetro 24 um viaduto de 4 vãos de 25 cada um; vários cortes, tendo o principal 200 de comprimento por 15 de profunidade; vários muros de arrimo, sendo o principal no quilômetro 27, o qual tem 1.600 metros cúbicos.
Toda linha, como em geral são as americanas, é de trilho Vignole, sendo estende 60 quilogramas por metro linear.Grande parte do leito é à meia encosta, tendo grande extensão em planalto.
Quanto à altitude do lugar é de 660 metros.
Tais são em ligeiro resumo os principais apontamentos e notas sobre as obras d'arte do novo trecho ferroviário.
Às 10,5 chegamos de volta a Pesqueira, onde, por falta de tempo, não foi a comitiva fazer uma visita à fábrica do coronel Xavier de Britto, cuja exma.consorte havia feito gentil convite.
De Pesqueira, depois de ser ligado mais um carro ao especial, partiu o comboio para Caruaru, havendo em caminho um pequeno almoço que terminou minutos antes de 11 horas.
Em Caruaru, onde chegamos a 1 hora, foi a comitiva recebida pelo prefeito coronel João Guilherme, tocando nessa ocasião a Nova Eulerpe.
Deixando esta cidade, teve lugar o grande almoço em que foi servido o seguinte menu:
Camarões
Salada
Galinha com ervilhas
Purê
Filet ao forno
Batatas fritas
-
Vinhos Bordeaux, PontetCauot, Saint Esteph-Graves
Licores - Conhaque- Champagne
Na sobremesa foram trocados os seguintes brindes:
Do engenheiro Magalhães Save, em nome da comunidade fiscal, ao general Dantas Barreto.
Deste, agradecendo e brindando à Great Western.
Do sr. A. T. Connor ao general Dantas Barreto.
Do dr. Afonso de Barros ao engenheiro Jungstedt.
Deste agradecendo e brindando à comissão fiscal;
Do dr. Freire de Carvalho à imprensa.
Eram 2,30 quando terminou o almoço prosseguindo a viagem sem novidade até esta capital onde chagamos a 6,30 da tarde.
Para todos os convidados o sr.Connor, Felton e Jungstedt, bem como os empregados do comboio foram pródigos em gentilezas.
Outro tanto aconteceu com as gentilíssimas famílias Didier e Xavier de Britto, que se mostraram incansáveis para os seus hóspedes.
A todas as pessoas da comitiva, o coronel Agostinho Silva sócio da fábrica de doce marca Peixe, da firma Xavier de Britto, presenteou com latas de doce, produto da referida fábrica.
Encerrando esta notícia resta-nos agradecer à diretoria da Great Western e as famílias Didier e Xavier de Britto as finesas dispensadas ao nosso representante.
- Na estação central nesta cidade, foi a comitiva recebida pela oficialidade de polícia e outras pessoas, tendo se feito ouvir uma banda de música do Regimento Policial.
S.exc. o governador do Estado seguiu para sua residência provisória nos Aflitos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário